segunda-feira, 13 de abril de 2015

O SEU CÃO FICA ENGASGADO, SUFOCADO ÀS VEZES ? ELE PODE TER ESPIRRO REVERSO.



CÃO ENGASGADO? CÃO SUFOCADO?
Não, é o ESPIRRO REVERSO!
Algumas raças de cães são mais acometidas, principalmente Chihuahuas, Pomerâneos, Shih Tzus, Lhasa Apsos, Poodles (principalmente os toys), whippets e Yorkshires. Em função desta maior incidência nestas raças, suspeita-se da participação de um fator genético envolvido no quadro.
Quais são os sinais?
Com o espirro reverso a faringe(nas costas da garganta) apresenta espasmos. O cão encontra dificuldade em puxar o ar durante o espasmo, faz inspirações rápidas, fica parado,com que o pescoço esticado, afasta as patas dianteiras aumentando o ângulo e produzindo um ronco, uma respiração dificultosa , um resfolegar que muitas vezes resulta na impressão de que o cão está engasgado ou prestes a morrer! Freqüentemente os olhos se esbugalham. O espasmo cessa quando o cão faz o movimento de engolir. Fechar os orifícios nasais com os dedos e friccionar gentilmente o pescoço por alguns segundos faz com que o cão tome um fôlego pela boca resolvendo o problema. Filhotes podem apresentar o espirro reverso mas é durante a adolecência tardia que costumam aparecer os primeiros episódios. As causas ainda não foram elucidadas mas podem estar relacionadas a uma irritação no palato mole e garganta , causando o quadro de espasmos que assustam muitos cuidadores. Qualquer coisa que irrite a garganta pode causar o espasmo como excitação, comidas e bebidas, excesso de exercícios ou intolerância a eles, tração na coleira durante os passeios, pólen, corpos estranhos na garganta, perfumes, vírus, produtos químicos usados na casa e no canil, alergias, etc. Se o problema for identificado, afastá-lo dele muitas vezes resolve parcial ou totalmente o problema. Cães braquicefálicos como pugs e boxers, que apresentam o focinho achatado são muito afetados, mas no caso destas raças deve-se tomar cuidados redobrados pois há relatos científicos de alterações cardíacas secundárias ao espirro reverso.
Alguns cães apresentam estes episódios por toda a vida, outros desenvolvem episódios esporádicos e temporários que se resolvem por si só e outros ainda podem apresentá-los uma única vez e nunca mais.
O QUE EU FAÇO?
Fique calmo e proceda como o explicado (veja o filme). Em poucos segundos ou 1 ou 2 minutos, o episódio vai cessar. O espirro reverso é um fenômeno inofensivo, que quando diagnosticado por um veterinário e após uma avaliação clínica criteriosa, excluindo-se alterações cardíacas, convulsões, engasgos, estenose traqueal e etc., pode ser encarado como um fenômeno normal naquele indivíduo, sem necessidade de tratamento medicamentoso agressivo (corticóides e anti-inflamatórios).
COMO DIFERENCIAR DE UMA ESTENOSE DE TRAQUÉIA?
A traquéia é uma importante estrutura que conecta a garganta com os pulmões. É composta de 35 a 45 aneis de cartilagem unidos por músculos e ligamentos criando uma estrutura tubular. A utilidade deste tubo é a de direcionar ar ao trato respiratório.
Quando os anéis traqueais rebaixam ou achatam-se do topo em direção a parte inferior, a traquéia é dita “colapsada”. Uma rápida inalação do ar pode causar este achatamento traqueal e dificultar a entrada do ar nos pulmões, com uma espécie de movimento de sucção muito vigoroso.
O colapso de traquéia pode ser confundido com o espirro reverso ou vice e versa, mas já requer uma atenção maior pois nesse cãs sim o animal pode parar de respirar por sufocação e morrer. Não se conhece precisamente como esta condição se desenvolve. De qualquer forma, sabemos que estes cães apresentam uma anormalidade na conformação química e/ou física dos anéis traqueais. Os anéis perdem sua rigidez e tornam-se inábeis em manter seu formato circular.
O sinal mais comum do colapso traqueal é o quadro de tosse crônica que pode ou não estar relacionado a alterações cardíacas. Este quadro é freqüentemente descrito como seco ou áspero e pode transformar-se em inquietação pronunciada. Os termos “grasnado de ganso” ou tosse de comprida ou ainda tosse de cachorro podem ser usados para descrever o quadro. A tosse é comumente pior durante o dia quando o animal está mais ativo e menos intensa a noite quando o animal está em repouso (diferente da tosse dos canis quando ela piora durante a noite). A tosse pode iniciar-se devido a excitação, pressão traqueal (coleira) ou por comer ou beber.
VAMOS DIFERENCIAR OS DOIS EPISÓDIOS?
Se o episódio criar sons quando excitado ou depois de comer ou beber, ou ainda abrir os membros anteriores e estender o pescoço e arfar com um rítmico Snork! Snork! Snork!, como se estivesse morrendo ou agonizando,tenha certeza que está diante do ESPIRRO REVERSO. Se a respiração através da boca emitir um ruído estridente ou se há tosse reflexiva após tocar sutilmente seu pescoço, podemos estar diante de um COLAPSO DE TRAQUÉIA. Se a tosse é de uma ou duas explosões aparentes (forçando a traquéia a abrir-se) como um engasgo ou mímica de vômito no final, pode ser um colapso traqueal ou ainda um quadro de tosse dos canis.
Se você suspeita de colapso de taqueia ou esta confuso quanto a diferença entre os dois quadros, leve seu cão ao veterinário. Se o diagnóstico for de ESPIRRO REVERSO, você vai ter que acostumar-se com os episódios e não se desesperar!
GATO TAMBÉM TEM?
Sim, mas muito menos! Nese caso pode ser confundido com a asma felina, essa sim muito mais frequente. No caso da asma o tratamento é muito mais complexo
(acesse: http://www.veterinarypartner.com/Content.plx?P=A&A=665&S=0&EVetID=0).
BIBLIOGRAFIA:
http://www.papillonclub.org/Education/trachea.htm
http://cantodosbichos.blogspot.com/2009/02/que-barulho-e-esse-espirro-reverso.html
ASSISTAM OS VÍDEOS A SEGUIR E VÃO ENTENDER MELHOR
https://youtu.be/1UyBrb0Hhpk
https://youtu.be/P1rbSj2y6RU

Fonte: http://caoecianatal.com.br/blog/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentarem,são todos sempre bem vindos,fiquem com Deus :*